Trabalhar em Iates

Trabalhar num iate, super iate ou mega iate, é diferente de trabalhar num cruzeiro, apresentando características e requisitos específicos que devem ser considerados na candidatura.

Yachthing é diferente de Cruising

Os iates caracterizam-se por:

  • Nível de luxo 6 estrelas ou superior
  • Variedade de embarcações: motor e vela
  • Dimensão das embarcações: 24 a 180 metros
  • Carreiras com formação específica
  • Duas áreas de trabalho: convés e interior

Os super iates de luxo são mantidos pela tripulação durante todo o ano, muitas vezes com uma equipa reduzida, durante as estações em que os proprietários não estão a bordo ou as embarcações não se encontram em operação. A maioria dos membros da tripulação vive a bordo e recebe um salário mensal, com a maioria dos custos de vida cobertos pelo proprietário. Todos os iates de luxo têm áreas para a tripulação, abaixo do convés, incluindo área de refeições, alojamentos e lavandaria. A maioria dos alojamentos possui beliches. Nos iates de maior dimensão, os comandantes e chefes de máquinas, têm acomodações independentes. Não existem horários de trabalho rígidos, dependendo do facto de os proprietários estarem a bordo, do navio estar alugado ou de existirem clientes a bordo.

Tipos de iates
Os iates são diferenciados principalmente pelo seu comprimento, sendo assumidos dois grandes grupos:

  • Iates: até 24 metros de comprimento
  • Super iates e mega iates: mais de 24 metros de comprimento

Existem atualmente em operação cerca de 9 000 super iates (com mais de 24 metros de comprimento). O super iate mais longo do mundo é o Azzam, construído em 2013, com um comprimento de 180,61 metros. O maior super iate do mundo em volume é o Fulk Al Salamah, construído em 2016, com uma arqueação de 20 361 GT.

A tripulação necessária para operar um super iate de luxo pode incluir 8 membros para uma embarcação de 36 metros e atingir 70 ou mais tripulantes, no caso de navios maiores.

Formação e carreiras
Os super iates incluem apenas duas grandes áreas de trabalho: convés e interior.

O departamento de convés inclui as profissões ligadas às operações técnicas da embarcação, nomeadamente o comando, marinharia e manutenção.
O departamento de interior inclui as profissões relacionadas com serviço de cozinha, mesa, bar, limpeza, arrumação de quartos, receção, enfermagem, saúde e beleza, entre outras.

Em ambos os casos será necessária formação específica, de preferência com reconhecimento e certificação internacional.

Recrutamento para Iates
O recrutamento para super iates pode ser realizado pelo próprio dono da embarcação, que faz utilização particular da mesma, ou por companhias que exploram os super iates comercialmente em atividades de turismo.

A apresentação de candidatura para trabalhar em iates segue as mesmas regras das candidaturas para trabalhar em cruzeiros. Porém, no caso dos iates deve investir em formação específica antes de apresentar a candidatura. A formação e a experiência adquirida em ambientes de trabalho em terra são também muito valorizadas.
Sobre este tema, recomendamos a leitura do Manual Completo de Candidatura e Recrutamento para Cruzeiros e Iates, no qual são apresentadas metodologias de elaboração de candidaturas e os contactos das principais companhias de recrutamento.

Trabalhar em Iates com menos de 24 metros
Trabalhar em iates com menos de 24 metros, normalmente classificados como náutica de recreio, é uma oportunidade a considerar. Este setor oferece carreiras profissionais aliciantes, como skipper (comando) ou membro da tripulação, permitindo trabalhar a bordo de embarcações de recreio e marítimo-turísticas, incluindo iates a motor e veleiros.

Para trabalhar neste tipo de embarcações, com comprimento inferior a 24 metros ou arqueação menor que 200GT, normalmente com um máximo de 12 passageiros (exceto tripulação), com propulsão a motor ou por vento, não é necessário frequentar os tradicionais cursos para marítimos, vocacionados para embarcações de maiores dimensões.

Existe, como alternativa, a possibilidade de frequentar cursos de náutica de recreio que oferecem as competências necessárias. Adicionalmente, os títulos e certificados obtidos são reconhecidos e valorizados, por uma indústria dinâmica e em crescimento, que procura pessoas com competências sociais desenvolvidas e vocação para trabalhar em turismo e com clientes.

Sobre este tema, recomendamos a leitura do Guia de Trabalho em Náutica de Recreio, no qual são comparados os programas de formação em náutica de recreio, em Portugal, Espanha e no Reino Unido. São também identificadas as possibilidades de evolução de carreira profissional, que cada país e sistema de certificação oferece, a nível nacional e internacional.

Para preparar uma candidatura de sucesso e alcançar um contrato de trabalho, considere participar na Formação Trabalhar num Navio (presencial ou à distância), realizada pela APORMAR, onde encontra toda a informação que necessita. Existe um lugar para si. Venha trabalhar em super iates!