Formação Trabalhar num Navio | 30 setembro

A melhor formação, preparada e apresentada por quem sabe e conhece o mundo dos navios por dentro.


A Formação Trabalhar num Navio oferece:

☑️ Certificado inglês/português
☑️ Orientação em candidaturas
☑️ Apoio pré e pós embarque

A Formação Trabalhar num Navio transmite o conhecimento essencial sobre a indústria do transporte marítimo, incluindo certificação, qualificações, carreiras profissionais, condições de vida e de trabalho, remunerações e impostos, segurança social, plano de ação e candidatura de sucesso, entre outros temas. Este é o conhecimento fundamental para alcançar um contrato de trabalho a bordo de um navio.

A Formação Trabalhar num Navio destina-se a TODAS as pessoas, independentemente da sua área de estudo, profissão ou idade.

Plano de ação ENM 2030 identifica fragilidades e apoia marítimos

Sabemos que Portugal não tem sido um bom país para os marítimos. As razões são múltiplas e (re)conhecidas. Mas esta situação poderá mudar em breve.


O plano de ação da Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030, publicado em 1 de setembro, reconhece as enormes fragilidades do ensino e formação marítima nacional e propõe várias medidas, apoiando os marítimos.

Também a carreira profissional dos marítimos mereceu atenção, sendo apresentadas medidas para:

  • Melhorar os serviços prestados pela governação com a tutela desta área, acelerando a implementação da legislação em vigor (que continua a aguardar portarias quase dois anos após publicação);
  • Reduzir barreiras administrativas;
  • Eliminar a discriminação entre marítimos através da harmonização fiscal;
  • Desenvolver um estudo de benchmarking para identificar as melhores práticas no âmbito da carreira marítima, focado na organização, tipologia, progressão, formação e papel das entidades públicas e privadas.

Evitar a escassez de tripulantes em navios

É fundamental evitar a escassez de tripulantes. As pessoas que trabalham a bordo de navios não são hoje reconhecidas ou valorizadas, apesar da importância do trabalho que desenvolvem. Sem inspiração e sem liderança virá a escassez.


Como bem afirma o comandante Charis, “Construir e desenvolver marítimos capazes e comprometidos requer uma abordagem sistemática, procedimentos robustos, esforço, vínculo, coaching, investimento em recursos, financiamento considerável e, o mais importante, líderes ou melhor, mentores.”

Acrescenta ainda que “Para recuperar o défice atual de marítimos, as carreiras marítimas devem ser promovidas junto dos jovens, destacando os seus benefícios, o que envolve, obviamente, respeito e reconhecimento por parte de toda a sociedade. Promover a condição de marítimo e investir nas pessoas, é sem dúvida o ponto focal onde tudo começa.”

Mas não nos iludamos, não se trata de uma questão de marketing. As pessoas não são números e apenas irão aderir a propostas honestas, sérias e consistentes, que realmente lhes ofereçam:

  • Ensino e formação de excelência, com qualificação atualizada de acordo com as necessidades atuais e futuras do mercado de trabalho;
  • Oportunidades de carreira bem remuneradas e gratificantes, com aprendizagem e evolução permanente;
  • Regime fiscal especial, realmente vantajoso, para todos os marítimos sem discriminação;
  • Proteção, assistência e respeito em situações adversas (por exemplo pandemias ou conflitos internacionais);
  • Melhor legislação, menos burocracia e preços honestos na emissão de certificação;
  • Boas condições de trabalho (alimentação, conforto no alojamento, horário, respeito, boa liderança), mesmo quando ninguém está a ver.

INOVSEA revela potencial da construção, manutenção, conversão e reparação naval

O setor da construção, manutenção, conversão e reparação naval, tem potencial para assumir um importante papel no âmbito da economia do mar nacional.


As oportunidades surgem em vários segmentos de mercado em expansão global, nomeadamente a construção e a conversão de navios de passageiros e embarcações de recreio, e a construção e reparação de estruturas offshore. As oportunidades são ainda reforçadas em vários domínios, por força da regulamentação imposta no âmbito de questões ambientais e sociais, nomeadamente a poluição gerada por navios e o seu impacto nas alterações climáticas.

Como desafios ao desenvolvimento deste setor, destacam-se a escassez de profissionais especializados e as sérias limitações no ensino, formação e qualificação de recursos humanos em Portugal, comprometendo o desenvolvimento e presença das empresas nacionais na cadeia de valor global da indústria marítima.

Mais trabalho a bordo de navios

Apesar da situação de pandemia, a indústria de cruzeiros global está a retomar atividade a passos largos. A contratação de novos tripulantes está a acelerar e vários alunos da Formação Trabalhar num Navio estão já a embarcar em cruzeiros.

Em 1 de julho estavam já em atividade 141 navios. Até final do ano é esperada a retoma acelerada da atividade de cruzeiros, dado o enorme apetite dos passageiros em voltar a viajar. O recrutamento já começou!

Conheça estes e outros temas desenvolvidos nas Notícias Apormar de 25 de julho:

  • Cruzeiros retomam atividade;
  • Mais um contrato a bordo de navios;
  • Num cruzeiro em águas dos EUA;
  • Carnival acelera retoma de atividade;
  • Recrutamento para super iates;
  • Recrutamento para cruzeiros;
  • Sucesso na segunda entrevista;
  • AIDA Cruises quer contratar 5 000;
  • Construa um CV vencedor;
  • Formação cresce na nuvem;
  • Regras para utilizar telemóveis a bordo;
  • Shell aposta em 3D Print para offshore;
  • Poupar combustível nos navios;
  • As cidades mais poluentes;
  • Polegares.

SAIBA MAIS

Cursos STCW certificados na EscolaPort

O recrutamento para navios está a acontecer e as oportunidades crescem. Sucedem-se os contratos e a necessidade de preparar documentação específica e, em alguns casos, obter certificação STCW.

Não existem muitas oportunidades de frequentar formação STCW em Portugal, o que compromete a celebração de contratos e o embarque a curto prazo.

Neste caso a solução é procurar formação e certificação fora do país, obtendo o certificado internacional válido para trabalhar em qualquer navio.

Outros temas desenvolvidos nas Notícias Apormar de 19 de julho:

  • Cursos STCW;
  • Formação e workshops no CFPSA;
  • Plano de ação INOVSEA;
  • Ninguém precisa dum CV com 5 páginas;
  • Viking Crew recruta para navios;
  • Iniciar uma carreira marítima;
  • Gancho de guindaste por 3D Print;
  • Amoníaco no transporte marítimo;
  • Motores a hidrogénio em testes;
  • Cruzeiro esgota vendas em 3 horas;
  • Yachts for Science apoia cientistas;
  • Feira da indústria de cruzeiros;
  • Oportunidades para trabalhar em iates;
  • Polegares.

SABER MAIS

Escola da Ferrovia modelo para Escola do Oceano

Portugal vai ter uma escola dedicada à ferrovia no próximo ano letivo. A partir de setembro, começa o primeiro curso. A Universidade do Porto tem o papel principal no projeto, através das faculdades de Engenharia, Economia e Direito.

O curso vai incluir formação em ambiente de trabalho e preparar os estudantes para se juntarem a empresas do setor. Após conclusão, os alunos poderão especializar-se no ensino politécnico ou licenciarem-se no sistema público. Está em estudo a criação de um mestrado que poderá incluir formação no estrangeiro.

Um modelo a copiar para uma futura Escola do Oceano em Portugal, pensada de raiz para servir as empresas e as pessoas, apoiando as atividades tradicionais e emergentes da economia do mar.

SABER MAIS

Loja e Livraria do Museu de Marinha dá desconto a membros ApormarPRO

A Loja & Livraria do Museu de Marinha oferece 10% de desconto em compras aos membros aderentes ApormarPRO.

O Museu de Marinha é uma referência a nível mundial da História dos Descobrimentos e da relação do Homem com o Mar, contando com uma rica coleção de objetos variados, incluindo cartas de navegar, instrumentos náuticos, modelos de navios e embarcações reais, quadros e gravuras, entre muitos outros.

Na Loja & Livraria do Museu de Marinha pode adquirir artigos que são uma história e uma continuação da experiência do Museu. A oferta inclui uma vasta seleção de publicações, instrumentos náuticos e medalhística, têxteis e acessórios, decoração, fragâncias, sabores e artigos variados de papelaria.

Saiba tudo AQUI.

Guia para Trabalhar em Náutica de Recreio

O Guia para Trabalhar em Náutica de Recreio oferece o conhecimento fundamental para construir uma carreira profissional em náutica de recreio.

Ao longo de 80 páginas, apresenta e compara os programas de formação e certificação em náutica de recreio, em Portugal, Espanha e no Reino Unido, identificando as possibilidades de evolução de carreira profissional que cada país e sistema de certificação oferece, a nível nacional e internacional.

Náutica de recreio não significa apenas atividades de lazer. Oferece também carreiras profissionais, como skipper ou membro da tripulação, permitindo trabalhar a bordo de embarcações de recreio e marítimo-turísticas, incluindo iates a motor e veleiros.

Para trabalhar neste tipo de embarcações, com comprimento inferior a 24 metros ou arqueação menor que 200GT, não precisa frequentar os tradicionais cursos para marítimos, vocacionados para embarcações de maiores dimensões.

Tem, como alternativa, a possibilidade de frequentar cursos de náutica de recreio que lhe oferecem as competências necessárias. Adicionalmente, os títulos e certificados obtidos são reconhecidos e valorizados, por uma indústria dinâmica e em crescimento, que procura pessoas com competências sociais desenvolvidas e vocação para trabalhar em turismo e com clientes.

O Guia para Trabalhar em Náutica de Recreio apresenta a informação fundamental, sustentada na legislação de cada país, para que possa identificar a formação e certificação de náutica de recreio adequada ao seu perfil e objetivos de carreira, apoiando opções e decisões acertadas.

LOJA APORMAR ONLINE | SABER MAIS

Reconhecimento de certificados de competência – Acordo bilateral Portugal Austrália em discussão

Quem pretender trabalhar a bordo de navios com bandeira da Austrália, deve solicitar o reconhecimento prévio de certificados de competência (CoC) à administração marítima deste país – a Australian Maritime and Safety Authority (AMSA), conforme previsto na Convenção STCW.

A Austrália tem acordos com alguns países para o referido reconhecimento, mas Portugal não está ainda incluído na lista.

No entanto, a situação poderá vir a mudar.

SABER MAIS