Unclos, mar livre e bandeiras de conveniência | MAR+

SafetyFirst

Os navios de registo aberto têm dominado as listas do transporte marítimo abaixo de padrões aceitáveis, o mau desempenho em segurança, os maus-tratos da tripulação, a poluição do ambiente marinho e da pesca ilegal, não regulamentada e não declarada em alto-mar. 

A UNCLOS, O MAR LIVRE E AS BANDEIRAS DE CONVENIÊNCIA
ANTÓNIO COSTA
Fevereiro 2014
Palavras Chave: UNCLOS | Registo de navios | Bandeiras de Conveniência
Referência: MAR+20140214

Devido à disponibilidade de procedimentos de registo pobres e laxistas e controlos precários ou inexistentes, determinados Estados e organizações internacionais têm levantado preocupações sobre o potencial uso de embarcações em actos criminosos e terroristas. O registo BdC tornou-se muito fácil e, totalmente, legal esconder as identidades dos proprietários dos navios.

Alguns Estados de bandeira usam, até, a promessa de anonimato como uma atracção ao anunciar os seus serviços de registo. A natureza global da indústria, as dificuldades ligadas à jurisdição do Estado de bandeira, combinados com uma tradição de sigilo, pode tornar impossível o rastreio da propriedade e o fazer cumprir o direito internacional.

É importante notar, no entanto, que a bandeira de conveniência não é, necessariamente, uma coisa má. Mas, invariavelmente, tem levado a resultados com implicações muito graves.

Publicação de Leitura Obrigatória!

2 thoughts on “Unclos, mar livre e bandeiras de conveniência | MAR+

  1. Boa iniciativa do António. Não apenas capta o que de mais relevante este tema apresenta como deixa em aberto várias questões pertinentes que urge resolver: respeito pela força de trabalho; sensibilidade ambiental; desrespeito pelas Convenções; o aparente desfasamento entre as regulamentações da IMO e a aplicabilidade (ou falta) das mesmas; qual o grau de verdadeira efetividade dos Anexos exarados pós MARPOL (o Anexo VI principalmente); remete para a leitura exautiva da Resolução da Assembleia da República n.º 60-B/97, de 14 de Outubro de 1997, que aprovou o Tratado da UNCLOS e deixa o alerta para o estado de Corso atual promovido pelas BdC nas águas internacionais.
    Parabéns!
    Paulo Moreira

  2. Parabéns António Costa!
    Li o seu artigo do princípio ao fim, sem conseguir parar. Os temas são, além de importantes, fundamentais para o conhecimento base de qualquer marítimo e para quem gosta do Mar.
    Obrigado pela partilha!
    Cumprimentos,
    Alvaro Sardinha

Deixe uma Resposta para Alvaro Sardinha Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.