Sines como activo geoestratégico nacional | MAR+

Sines

A ANÁLISE DE SINES COMO ATIVO GEOESTRATÉGICO NACIONAL
UM CLUSTER SUPORTADO NAS REDES MARÍTIMAS MUNDIAIS
PAULO JORGE PIRES MOREIRA
Junho 2012  |  ppmoreira@live.com.pt
Palavras Chave: Sines | Cluster Marítimo
Referência: MAR+20140124

A competição actual em termos portuários não se resume apenas a uma competição entre os portos, mas sim em termos de redes logísticas aos quais pertencem.


Se o espaço geográfico da competição, corresponde ao hinterland competitivo, a fase correspondente, a de regionalização portuária  do  hinterland,  passa  obrigatoriamente pela  eficiência  e  fiabilidade  dos  fluxos  de mercadorias transportados, o que obriga ao investimento nas ligações ferroviárias, o elemento terrestre,  sem  descurar  o desenvolvimento  do  seu  foreland,  o  elemento  marítimo.

Esta premissa orienta a análise de Sines ao longo deste trabalho, numa perspectiva sistémica assente na  sua  tripla  valência  como  interface  marítimo-terrestre,  plataforma logística  e  zona  de atracção de atividade industrial que permita constituir-se em cluster regional. Apenas analisado nesta perspectiva holística, se pode aspirar a descrever uma análise profunda, direccionada para o  futuro,  daquele  que  surge  como  um  dos  grandes  activos  estratégicos  para  Portugal.

O alargamento do Canal do Panamá é referido como uma grande oportunidade de crescimento para  Sines,  da  economia  regional  e  da  economia  nacional.  Mas  até que  ponto  isso  será verdade e como é que Sines, derivado do seu posicionamento, se poderá tornar efectivamente num grande porto da fachada atlântica da Europa?

Acima de tudo, e talvez mais importante, será preparar o caminho para fazer de Sines uma referência no mercado portuário mundial, um desafio que é também uma oportunidade e que o país não pode perder. O desempenho, medido em termos de eficiência e de eficácia, surge como fulcral para lograr tal objectivo, não apenas  em termos  micro-económicos,  mas  também  porque  o  bom  ou  mau  desempenho portuário influencia, em última instância, o bom ou mau desempenho de uma economia. de transporte de carga.

 

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.