Publicação “Treino de Mar no NTM Creoula”

Creoula_Cies_Jul2013

O lugre CREOULA, depois de 36 anos cumprindo missão na pesca do bacalhau, encontrou rumo na nobre tarefa de Treino de Mar. Hoje, operado pela Marinha Portuguesa e servindo a sociedade civil, possibilita a organizações e cidadãos a realização de projectos diversificados, assim como o desenvolvimento de iniciativas de sensibilização e ampliação da consciência Marítima dos jovens.
A presente publicação caracteriza com profundidade, o conhecimento e a experiência adquiridos numa viagem de Treino de Mar a bordo do CREOULA, constituindo relevante fonte de informação para participantes em futuras iniciativas. O trabalho realizado, recupera com frequência e propósito explicações e factos históricos, acrescentando um levantamento de sistemas e meios que caracterizam o CREOULA que hoje encontramos a navegar.

Entre os temas abordados ao longo de 192 páginas, pode encontrar desenvolvimentos nas seguintes áreas:
– UIM Universidade Itinerante do Mar
– Diário de Bordo Campanha UIM2013
– Tradições do Mar
– História da Pesca do Bacalhau
– História do CREOULA
– O actual NTM CREOULA
(Máquinas, Navegação, Salvaguarda da Vida no Mar, Instalações Gerais) 
– Treino de Mar no Ensino
– Links para vídeos e webgrafia

E começa assim:
“Como se pode falar do CREOULA, do navio corpo e medida, sem referir a sua imensa história?
E como se faz a história, senão com o esforço, a saudade e a alegria das mulheres e homens, que ao Mar de antigamente se devotaram e ao Mar de hoje se entregam? E como se lêem essas páginas sem escutar a tradição, que de mão em mão e de voz em voz se transportou, aos hoje nossos sentidos?
O Mar encerra em si mistérios que se descobrem e renovam. São muitos os nomes dos portugueses, que ousaram olhar o horizonte imaginando o infinito, que ontem fizeram história e que hoje a perpetuam. A eles, também aqui se rende homenagem.
O Mar tem assim destas coisas. Quando chama, não nos apela antes nos comanda. E é na sua imensidão onde receamos perder-nos, que muitas vezes nos encontramos.”

Aceda à publicação em Treino de Mar no NTM Creoula