Evolução do mercado de transporte marítimo de contentores

SkouuuEm entrevista publicada no Wall Street Journal, Søren Skou, CEO da Maersk Lines, reconhece que a empresa calculou mal o mercado quando, no início de 2011, encomendou a construção de 10 navios Triple-E* e, posteriormente, aproveitou as vantagens de uma opção para mais 10 navios.

“Quando olhamos para trás, quando estes navios foram contratados no início de 2011, é bastante claro que a nossa estimativa de crescimento era bem diferente do que realmente tem sido”. No entanto, embora a Maersk Line estivesse errada sobre a evolução da procura do mercado, os navios Triple-E vão garantir as economias de escala da empresa, tendo o custo unitário sido reduzido em 8%.
Segundo Skou, a spot rate nas principais rotas entre a Ásia e a Europa, sofreram uma redução de 30% este ano, sendo actualmente de menos de US$ 1.000 por TEU.

Já em Julho 2013, em entrevista ao Financial Times, Søren Skou tinha alertado o segmento de transporte marítimo de contentores para a evolução para uma menor procura neste mercado, podendo mesmo cair abaixo dos níveis observados nas duas últimas décadas. Skou apontou não apenas a crise económica em curso, mas também a diminuição ou mesmo inversão, da tendência dos EUA e da Europa para a deslocalização da produção para a Ásia.

“A maioria das coisas que pode ser transportada em contentores já está a ser transportada por este meio”, afirmou Skou. “Acho que a realidade é que a nossa indústria tem de se preparar para um menor crescimento do que tínhamos no passado.”
Falando sobre as recentes quedas das taxas de frete, Skou afirmou que tem sido “um dos declínios mais rápidos que já vimos”, tendo sido o resultado de uma procura inferior à esperada.

*O Triple-E é o maior navio porta-contentores do mundo, com as seguinte características:
Capacidade: 18.000 TEU
Comprimento: 400 metros
Calado: 14.5 metros
Boca: 59 metros
Altura: 73 metros
Porte Bruto: 165.000 toneladas